quarta-feira, dezembro 23, 2009

férias


terça-feira, dezembro 08, 2009

S.O.S. - blogueiros

S.O.S. - blogueiros - help - hilf - hulp -
"Um por todos e todos por um" é o lema,
 visitem este 
não assobiem para o ar...

quinta-feira, dezembro 03, 2009

postagem com a FaceOculta

face oculta

sábado, novembro 28, 2009

Petição "on line" __ Segurança nas Piscinas...

A nossa amiga Odele, que a maioria de vocês já conhece, é uma mulher fora do comum.
Há 12 anos viu a sua filha Flávia afastada de uma vida saudável e feliz que estava a iniciar, por um absurdo acidente ocorrido na piscina do prédio onde moravam.

Desse terrível episódio resultou o estado de coma vigil em que a Flávia vive actualmente.
A Odele, há cerca de três anos, criou o blog flaviavivendoemcoma.blogspot.com
Aí, para lá de se reportar ao acidente, aos cuidados desvelados que presta diariamente à sua filha, bem como às lutas judiciais que tem desenvolvido para obter a condenação dos responsáveis pelo acidente, esta corajosa lutadora, bate-se pela criação de mecanismos legais que possam evitar a futura repetição de acidentes em piscinas, que, infelizmente, ainda vão ocorrendo, um pouco por todo o mundo.

A sua mais recente iniciativa tem a ver com a exigência de uma Lei Federal sobre segurança nas piscinas que se pretende ver aprovada para vigorar em todo o Brasil.
Para tal, está on-line uma petição que pode ser subscrita por cidadãos de todo o mundo e que poderá contribuir para que tal lei seja implementada.

Apoiar a Odele nesta nova fase da sua abnegada luta é, certamente, uma forma de, também nós, não só homenagearmos a Flávia como também podermos contribuir para a prevenção de novos acidentes tão brutalmente danosos como aquele que ela sofreu.

Para assinares a petição, clica na imagem seguinte »»»»»»»»»»»»»»»»»

Petição Por uma Lei Federal para a Segurança nas Piscinas. Pfvr. Clica e assina. OBRIGADA.









Se estiveres de acordo com o assunto desta petição, por favor ajuda na sua divulgação, colocando no teu blog, site ... ou enviando para os teus contactos um apelo nesse sentido.

A imagem acima é o logotipo desta petição, pode ser utilizada nessa divulgação, por exemplo colocando-a na barra lateral do teu blog

Para tal, podes copiar o código html contido na caixa seguinte e colá-lo no teu template , no local onde achares conveniente.


Contamos contigo. abraço. adesenhar
 

quarta-feira, novembro 25, 2009

domingo, novembro 22, 2009

Outro desenho trivial

desenho trivial

quarta-feira, novembro 11, 2009

desenho trivial

Photobucket

segunda-feira, novembro 09, 2009

obrigado blogoesfera

apesar da queda do muro de Berlim há 20 anos.
outros muros existem que é urgente derrubar.

sexta-feira, novembro 06, 2009

Convite / desafio para um...

Magusto de S. Martinho,
Magusto de Fátima, Fado e Futebol...
Magusto da Saúde
Magusto da Justiça
Magusto da Educação
Magusto da Cultura
Magusto da Ciência
Magusto do Trabalho e da Solidariedade Social
Magusto
dos Negócios Estrangeiros
Magusto dos Assuntos Europeus
Magusto das Comunidades Portuguesas
Magusto
das Finanças
Magusto
da Administração Pública
Magusto da Presidência
Magusto da Igualdade
Magusto da Administração Interna
Magusto das Pescas
Magusto da agricultura
Magusto da corrupção
Magusto da falta de Estado!
Magusto da ...

magusto

sexta-feira, outubro 30, 2009

...

Photobucket

sábado, outubro 24, 2009

começou o jogo de xadrez.

Photobucket

"A chamada casa da democracia reabriu ontem. Tudo como dantes sem ser palha de Abrantes, mas com muitas escleroses de brigadas do "yes minister". No Portugal Contemporâneo, é o 76º parlamento, para o 126º governo, depois de cerca de 200 golpes de Estado, 5 revoluções, 8 reis e 8 presidentes eleitos pelo povo, em cima de 13 233 dias de salazarquia.

Os cinco partidões parlamentares entraram ontem em São Bento como se estivessem na fila para a inspecção militar numa direcção-geral que os funcionaliza em soldados rasos. E não repararam como a cerimónia de unidimensionalização estava quase a ser transmitida em directo..."
(continuar a ler no
Tempo que passa)

segunda-feira, outubro 12, 2009

Liberdade de Expressão, usa e abusa...

Photobucket
... antes que alguém a f...a.

domingo, outubro 11, 2009

quarta-feira, outubro 07, 2009

The Show Must Go On

The Show Must Go On>>> aqui, aqui, aqui, aqui,
aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, ou aqui, ......adesenhar_cabealho_16_A

Operação Furacão (zinho)

Photobucket


... frii frii frii frii
...

ROSA ALCHÉMICA
- Quem se detém na treva iluminada - desconfia do terrestre -
E todavia se desdobra - nesse perspicare ad infinitum -
Permanece como um apátrida - na errância - sobre a pedra - alucinada -
Quem cala a justeza da literatura - a mestria da obra - o irreprimível
Quem nesse apego do simples - arcana verba - irrompe na scriptura -
Pela voz do impensado se ajusta ao assombro - da voz - o que emudece -
Quem renuncia - ó rosa alchemica - ao coração - o resplendor da carne -
Nesse ímpeto da prestidigitação - da arte - ignora o actual momento egípcio -
Na proximidade do tremor e temor se precipita no transitório - até às nuvens -
Entre os lábios - não conhece códigos - ante os relâmpagos - fica à merce do caos
Quem enaltece este tempo de assassinos - os fedeli d'amore - as altas torres –

alexandre teixeira mendes

quarta-feira, setembro 30, 2009

e-mail vulnerável

o seu e-mail está vulnerável ao contágio pelo H1N1?

1. Use máscara e luvas.
2. Abra o e-mail com cuidado.
3. Lave muito bem o mail com sabão macaco.
4. Antes de ler, desinfecte os olhos com ácool/gel.
5. Se depois de todos estes procedimentos continuar a ter dúvidas...
abra uma nova conta de e-mail.
:-)

segunda-feira, setembro 28, 2009

sexta-feira, setembro 25, 2009

Especial Eleições

Photobucket

Para a classe política que temos, com amor.

Todos! todos! todos! Lixo, cisco, choldra provinciana, safardanagem intelectual!
[...]
Agora a política é a degeneração gordurosa da organização da incompetência!

(Álvaro de Campos, “Ultimatum”, Prosa Publicada em Vida, p. 280/281)
PhotobucketAté quando você vai levando porrada,
Até quando vai ficar sem fazer nada
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando você vai ser saco de pancada?

sábado, setembro 19, 2009

Poesia Matemática de Millôr Fernandes

Um Quociente apaixonou-se
Um dia
Doidamente
Por uma Incógnita.

Olhou-a com seu olhar inumerável
E viu-a, do Ápice à Base...
Uma Figura Ímpar;
Olhos rombóides, boca trapezóide,
Corpo ortogonal, seios esferóides.

Fez da sua
Uma vida
Paralela à dela.
Até que se encontraram
No Infinito.

"Quem és tu?" indagou ele
Com ânsia radical.
"Sou a soma do quadrado dos catetos.
Mas pode chamar-me Hipotenusa."

E de falarem descobriram que eram
O que, em aritmética, corresponde
A alma irmãs
Primos-entre-si.

E assim se amaram
Ao quadrado da velocidade da luz.
Numa sexta potenciação
Traçando
Ao sabor do momento
E da paixão
Rectas, curvas, círculos e linhas sinusoidais.

Escandalizaram os ortodoxos
das fórmulas euclidianas
E os exegetas do Universo Finito.

Romperam convenções newtonianas
e pitagóricas.
E, enfim, resolveram casar-se.
Constituir um lar.
Mais que um lar.
Uma Perpendicular.

Convidaram para padrinhos
O Poliedro e a Bissectriz.
E fizeram planos, equações e
diagramas para o futuro
Sonhando com uma felicidade
Integral
E diferencial.

E casaram-se e tiveram
uma secante e três cones
Muito engraçadinhos.
E foram felizes
Até àquele dia
Em que tudo, afinal,
se torna monotonia.

Foi então que surgiu
O Máximo Divisor Comum...
Frequentador de Círculos Concêntricos.
Viciosos.

Ofereceu-lhe, a ela,
Uma Grandeza Absoluta,
E reduziu-a a um Denominador Comum.

Ele, Quociente, percebeu
Que com ela não formava mais Um Todo.
Uma Unidade.
Era o Triângulo,
chamado amoroso.
E desse problema ela era a fracção
Mais ordinária.

Mas foi então que Einstein descobriu a Relatividade.
E tudo que era espúrio passou a ser
Moralidade
Como aliás, em qualquer
Sociedade.

......................................................................................................................................................................
Texto extraído do livro "Tempo e Contratempo", Edições O Cruzeiro - Rio de Janeiro, 1954, pág. sem número, publicado com o pseudônimo de Vão Gogo.

quarta-feira, setembro 16, 2009

O Best-Seller SÓCRATES

SÓCRATES: UM EXEMPLO DE SUCESSO.

Este será o TÍTULO do livro que penso escrever sobre Sócrates, o Primeiro Ministro de Portugal entre 2005 e 2009. (E ficarei rico. Pois tenho a certeza que há milhares de Chico-espertos que gostavam de ser como ele. Pelo menos, todos aqueles que irão votar no P.S. em Setembro serão potenciais compradores desta obra!)

O PLANO DO LIVRO:

No primeiro capítulo:

Irei explicar como se pode obter imenso sucesso, estudando pouco e gozando muito. E ilustrarei essa ideia com a carreira escolar, fora do comum, do estudante José Sócrates.

No segundo capítulo:

Falarei (escreverei) do fabuloso desempenho socrático, como membro do governo de António Guterres:

-as voltas que deu aos miolos (e as arrelias que teve) para transformar as lixeiras portuguesas noutra espécie de lixo (mais moderno e incinerado);

- a extraordinária façanha de protagonizar, juntamente com o extraordinário Carlos Cruz, e outros, a conquista da realização do Europeu de 2004 em Portugal (na esperança de outra conquista que não aconteceu, graças ao “caríssimo” treinador Scolari…)

- o impressionante “bom senso” que revelou, juntamente com a já aí notória (e premonitória) “preocupação com o défice”, ao não se ter oposto, como governante que era, à edificação dos monumentais estádios de futebol, hoje quase todos às moscas, cujas derrapagens orçamentais davam para construir mais cinco ou seis como os previstos.

No terceiro capítulo:

Estará em destaque o grande desempenho televisivo de Sócrates em frente de um Santana Lopes relaxado demais e a brincar aos debates; onde exporei ainda a minha opinião de que foi nesses debates que nasceu o D. Sebastião do séc. XXI.

No quarto capítulo:

Evocarei a sua estrondosa vitória na eleição para Secretário Geral do P.S., batendo o eterno pónei político, João Soares, e o socialista cristalizado, independente e retórico, Manuel Alegre.

No quinto e último capítulo:

Enfatizarei as raras qualidades políticas de Sócrates como Primeiro Ministro:

- Explicarei porque o acho a reencarnação moderna de Maquiavel;

- Exporei as razões porque o considero a antítese perfeita de Robin dos Bosques e de Zé do Telhado;

- Enunciarei a sua capacidade invulgar de omitir a verdade e desmentir a mentira; de dizer, sem pestanejar, que o cavalo branco de Napoleão é muito preto.

- Enfatizarei, no final, a sua incurável megalomania, o seu umbilical auto-convencimento; a sua tendência genética para a demagogia; a sua gaguez cultural; a sua esperteza saloia; a sua miopia sociológica; o seu anti-humanismo; a sua inaptidão societária e a sua dialéctica de papagaio.

Ah! E ainda tentarei desmontar, no último capítulo, o seu conceito “muito particular” de “Interesse Geral”, explicando que Geral é sinónimo de Universal; e que não se defende o tal “Interesse Geral” pondo de parte os interesses da “generalidade” dos 150.000 portugueses que foram a Lisboa dizer que eram e queriam continuar a ser professores; nem dos milhões de alunos que merecem um ensino como deve ser; nem se defende o tal de “Interesse Geral”, impedindo a TVI de ter um telejornal visto e apreciado por milhões de portugueses, muitos deles Socialistas…

*Autor anónimo*

Texto picado aqui

segunda-feira, setembro 14, 2009

quarta-feira, setembro 09, 2009

Debates televisivos

Falta sal e pimenta a estes debates televisivos.

terça-feira, setembro 08, 2009

Com fúria e raiva acuso

Com fúria e raiva acuso o demagogo
E o seu capitalismo das palavras
*
Pois é preciso saber que a palavra é sagrada
Que de longe muito longe um povo a trouxe
E nela pôs sua alma confiada
*
De longe muito longe desde o início
O homem soube de si pela palavra
E nomeou a pedra a flor a água
E tudo emergiu porque ele disse
*
Com fúria e raiva acuso o demagogo
Que se promove à sombra da palavra
E da palavra faz poder e jogo
E transforma as palavras em moeda
Como se fez com o trigo e com a terra
*
Sophia de Mello Breyner Andresen

segunda-feira, setembro 07, 2009

segunda-feira, agosto 10, 2009

Enfim... Férias!

sábado, agosto 08, 2009

Uma valsa a dois tempos



Uma valsa a dois tempos

2009-08-04

Deu trabalho mas encontrei na Net um curioso documento intitulado "Bases Programáticas/Partido Socialista/ Legislativas 2005". Nele o PS faz contas ao país depois do desastre governativo do PSD/CDS.

Agora (se não, veremos) será o PSD a comparar o país de 2005 com o de 2009. "Hoje, os portugueses", dizia o PS em 2005, vivem numa economia "parada há três anos"; e enumerava: taxa de desemprego em 6,8% (9,3% em 2009, dados do Eurostat); rendimento por habitante em 67,7% da média da UE-15 (75% da UE-27 em 2009, o segundo pior da Zona Euro); dívida pública em 62% do PIB (hoje 70,7%, a crer na OCDE); défice em 5,2% do PIB (mais de 6% em 2009, dados também da OCDE); endividamento das famílias em 118% do rendimento disponível (135% em 2008, segundo o Banco de Portugal); e IVA em 19% (20% em 2009). Se o PSD vier a ser outra vez Governo, o PS fará novo balanço desastroso em 2013; e em 2018 o PSD; e em 2023 o PS, e em 2028 o PSD, e por aí fora até ao infinito, cada vez com números piores. É uma valsa a dois tempos que dura há décadas com os mesmos dois dançarinos. E com os mesmos de sempre a pagar a conta.

terça-feira, agosto 04, 2009

domingo, agosto 02, 2009

José Sócrates - Quando a boca lhe foge para a verdade


Às 2:20:22 da BlogConf, de 27-7-2009, Tomás Belchior da Campanha Permanente perguntou-lhe
se ainda estaria para nascer um melhor primeiro-ministro. E José Sócrates confessou:

“O que eu queria dizer é que nós fomos o governo que menos fez”.

Secretário-geral socialista expulsou o canal Sapo da PT da discussão com os blogues
Sócrates implacável com sapos (ler artigo completo no blog doportugalprofundo)

sexta-feira, julho 31, 2009

segunda-feira, julho 27, 2009

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.
Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.
O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.
E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís Vaz de Camões

sábado, julho 18, 2009

"O Dia da Criação" / poesia de V. de Moraes por Joao Galante

Hoje é Sábado, amanhã é Domingo

sexta-feira, julho 17, 2009

Professores excelentes devem ficar com turmas + difíceis *** uma boa ideia

copy/past da imagem via Net. Autor desconhecido. Texto recebido via mail.

Ao Conselho Pedagógico


Ser-se avaliado em Professor Excelente não é a mesma coisa que ser-se um excelente professor.

E não é fácil, um professor ser avaliado em EXCELENTE!

É difícil, muito difícil mesmo e, numa escala de valores, ser EXCELENTE é ainda mais do que.
ser-se MUITO BOM. Eu disse mesmo M-U-I-T-O--B-O-M; não disse BOM.

Ser-se portanto EXCELENTE é o mesmo que ser-se perfeito, distinto, notável, admirável,
brilhante, magnífico, óptimo. São sinónimos que o qualificam extraordinariamente, que o qualificam
como O MELHOR de entre aqueles que já são MUITO BONS.

Tal como o Ministério preconiza, os professores titulares têm obrigação de ter as maiores
responsabilidades nas escolas porque os considera melhores que os outros; então, também deve
caber aos professores EXCELENTES serem os mais responsáveis em todo o processo ensino/
aprendizagem e em todas as funções e tarefas do contexto escolar.

E se um professor titular, de acordo com o ministério, já é do melhor que existe numa escola, então, um professor Titular Excelente é muito mais! Além de distinto, perfeito, admirável, notável, brilhante, magnífico e óptimo, ainda tem mais um atributo: ser TITULAR. Este título não é para muitos!

E, mesmo, ser-se apenas EXCELENTE já haverá poucos, muito poucos!

Posto isto, gostaria de propor para análise aos colegas deste Conselho Pedagógico o seguinte: aos professores que, nesta fase, forem avaliados em EXCELENTE, sejam eles titulares ou não, deverão, a partir do próximo ano lectivo, leccionar as turmas mais «difíceis» da escola, bem como direcções de turma e cursos que só eles, pelas suas reconhecidas qualidades evidenciadas neste rigoroso processo que tem sido a avaliação de desempenho docente, serão capazes de resolver ou minimizar problemas da melhor forma, contribuindo, assim, para que a escola seja também melhor. O rigor desta avaliação deu-lhes esse direito. É por isso que vão ser beneficiados na pontuação para concursos, no concurso para titulares, em prémios pecuniários, ... É por serem EXCELENTES, por serem os MELHORES DOS MELHORES, por serem perfeitos, distintos, notáveis, admiráveis, brilhantes, magníficos e óptimos que devem mostrar aos outros como se deve fazer.

Não é pois justo nem razoável que a escola deixe escapar este capital de conhecimentos mantendo os restantes professores com turmas difíceis e funções e tarefas complicadas, aparentemente bons professores, é verdade, mas incapazes de evidenciar os dotes que, em rigor, os professores EXCELENTES foram capazes de demonstrar nesta avaliação criteriosa dirigida ao desempenho de cada docente.

Certo da melhor atenção dos colegas e consciente da importância desta análise, solicito que, após reflexão devida, esta proposta baixe aos Departamentos e deles seja considerado o conjunto de opiniões formuladas.

Francisco Teixeira Homem, professor titular.

quarta-feira, julho 15, 2009

Última hora_Mais 3 Candidatos à Câmara Municipal de Lisboa

Mais 3 Candidatos à Câmara Municipal de Lisboacopy/past da imagem via Net. Autor desconhecido

terça-feira, julho 14, 2009

Fuge, fuge, Lurdeta - Copy/past via mail

Voando vai para a rua

Sócrates na estrada preta
Vai na brasa de lambretta

Leva a Milú, a pirata
Vermelha de irritação
O povo manda-a embora
Ela! que fez tanto p´la Educação!

Fuge, fuge, Lurdeta
Vai na brasa de Lambretta

Agarrada ao companheiro
Na volúpia da escapada
Pincha no banco traseiro
Em cada volta de estrada.
Grita de medo fingido
Mas medo não é com ela
E só por amor e cautela
Abraça-o pela cintura
Vai ditosa, e bem segura.

Leva atrás dela o Pedreira
E também o Valter Lemos
Tudo foge à sua volta,
O poder, carros, e casas
E com os bramidos que solta
Lembra um demónio com asas.

Na confusão dos sentidos
Já nem percebe, a Lurdeta,
Se o que lhe chega aos ouvidos
São ecos de amor perdidos
Se o som da motoreta.

Fuge, fuge, Lurdeta
Vai na brasa de Lambretta
E escusas de te por aos ais!...
Que em Outubro levas mais!...

Adaptado de António Gedeão (Rómulo de Carvalho, 1906-1997) in Máquina de Fogo (1961)

quarta-feira, julho 08, 2009

Decreto que o Dia 8 de Julho seja...

Decreto que o Dia 8 de Julho seja dedicado ao Copy / Past.

sábado, julho 04, 2009

segunda-feira, junho 29, 2009

AUTO AVALIAÇÃO

Recebido via e-mail

FICHA PREENCHIDA (PARA COPY-PASTE) – AUTO AVALIAÇÃO

Nome do avaliado PROFESSOR(A)

Categoria - Titular do seu nariz

Departamento Curricular - Língua Portuguesa e Literaturas

1. Como avalia o cumprimento do serviço lectivo e dos seus objectivos individuais estabelecidos neste âmbito?
Avalio com um EXCELENTE. Cá vou vindo todos os dias, como faço há quatro décadas… com a pasta recheada de manuais, livros, dicionários, prontuários, gramáticas, fichas, cadernos, lápis e canetas, uma pen de 4 GB e caneta felpuda para o quadro branco que há nos contentores. Trago a lancheira, uns maços de tabaco, PROZAC e, às vezes, o PC portátil. E trago uns óculos para ver perto (para longe não uso, apesar das cataratas, sou vaidosa), trago sempre a cabeça entre as orelhas, mãos, braços, pernas e tudo o mais que me faz falta neste domínio. Excelente.

2. Como avalia o seu trabalho no âmbito da preparação e organização das actividades lectivas? Identifique sumariamente os recursos e instrumentos utilizados e os respectivos objectivos.

Avalio com um excelente. Utilizo todos os recursos supracitados com grande mestria, inclusive as TIC, PPS, PPT, PDFs, Scribd, Word, Excel, Moodle, blogues, data-show, Dvds, Cds de todos os tamanhos e Bics de todas as cores. Só me falta usar mais o quadro interactivo e comprar um Migalhões para guardar o lanche que trago de casa, pois ainda não sou de ferro e na minha idade preciso alimentar-me de forma mais saudável do que engolir cafés em todos os intervalos.

3. Como avalia a concretização das actividades lectivas e o cumprimento dos objectivos de aprendizagem dos seus alunos? Identifique as principais dificuldades e as estratégias que usou para as superar.

As actividades lectivas concretizam-se de modo excelente. Entramos e saímos vivos e contentes, apesar da falta de espaço, das obras, da poeira, das salas de aula em contentores, da falta de ar circulante, do amianto em cima das cabeças. E segue o baile. Dos objectivos de aprendizagem dos meus alunos, pois eles que falem! Às vezes doem-me as "cruzes" pois já me custa carregar com a tralha toda já referida, mas os alunos, por enquanto, vão ajudando.Excelente.

4. Como avalia a relação pedagógica que estabeleceu com os seus alunos e o conhecimento que tem de cada um deles?

Excelente. Apesar de me terem trocado as voltas, de me terem tirado turmas e alunos de continuidade e de me terem dado sessenta e dois novos (ôps… será que foi uma homenagem à minha idade?), para lá dos que já tinha, conhecemo-nos excelentemente. E, quanto à nossa relação, os meus alunos riem-se, muito mais do que choram, à minha beira. E estou certa de que aprendem comigo - ainda há dias, no intervalo, a fumar fora de portas os meus cigarros, uma aluna de doze anos correu para o meu lado e puxou ela também de um cigarro para me acompanhar no gesto. Até esta aprendizagem definida pela ASAE é integralmente cumprida.

5. Como avalia o apoio que prestou à aprendizagem dos seus alunos?

Excelente, também. E vou tendo sempre clientes nas aulas de reforço, apoio, substituições, salas de estudo... até no jardim em frente à escola a avaliar com os alunos os galhos das árvores que podem aguentar que se trepe, apoiando-os no exercício, ou a tentar apoiar e compreender a linguagem utilizada pelos jovens casais de alunos, sob as mesmas árvores, a exercitar experiências de natureza físico-química aprendidas nas aulas práticas


6. Como avalia o trabalho que realizou no âmbito da avaliação das aprendizagens dos alunos? Identifique sumariamente os instrumentos que utilizou para essa avaliação e os respectivos objectivos.

Excelente. Estou sempre de olho neles e de ouvido alerta, memória de elefante e caderno mágico para anotações. Consegui preencher todas as grelhas das turmas do ensino regular e recorrente, conforme a legislação específica que muda a cada semana e que já tenho decorada, preenchi cuidadosamente o PIAV das oito turmas com todas as cruzes e percentagens, os cronogramas e as configurações da avaliação de todas as turmas, produzi planificações, relatórios disto e daquilo, consegui fazer todos os diagnósticos, reflexões e análises do APA, dos NEE, dos AOPES, do PEE, do PAA, de todos os PCP (planos curriculares de turma), do PQP (isto não sei bem o que é, mas preenchi…) conforme descrito nas actas de todos os Conselhos de Turma e reuniões de Departamento, Grupos, Minigrupos, etc. E, mais difícil ainda, consegui distribuí-los por níveis, quatros e cincos no básico, assim como nas turmas do secundário, dezoitos e dezanoves pois o vinte é pra mim, que o mereço por ter contribuído com eficácia para as estatísticas ministeriais referentes ao sucesso educativo. Excelente.

7. Identifique a evolução dos resultados escolares dos seus alunos. Avalie o seu contributo para a sua melhoria e o cumprimento dos objectivos individuais estabelecidos neste âmbito.

Excelente. Este ponto descreverei detalhadamente apenas no final do ano, mas atendendo a que esta escola não costuma ficar bem colocada nos rankings, posso contribuir para essa melhoria e ir dizendo antecipadamente, com alguma alegria, que a maior parte dos alunos do 11º e 12º anos consegue ler, e quase todos já escrevem frases utilizando a letra maiúscula no início, apesar das enormes dificuldades com a pontuação e a troca dos B pelo V e bice-bersa.

Apesar de nunca lerem as obras obrigatórias, é notável a ampliação vocabular que revelam devido aos hábitos de aprendizagem adquiridos através dos “Morangos com Açúcar”, obra-prima que pode servir como exemplo de prática inovadora e motivadora, ao invés da leitura de “Os Lusíadas” ou do “Memorial do Convento”, obras impostas pelo M.E. e que são a verdadeira causa dos maus resultados desta escola nos exames. Caso esse factor seja objecto de alteração pelo M.E., posso afirmar desde já que os resultados serão excelentes, assim como eu. Excelente.

quarta-feira, junho 24, 2009

Candidato-me a Presidente da Comissão Europeia

<...Je veux que mon Chien soit Diplomé...>
Presidente do PE confirma 15 de Julho para votação
do Presidente da Comissão Europeia

...
Começei a campanha eleitoral na rua,

ops...
digo
blogoesfera
local: Cannes
confirmem *aqui*

Candidato-me a Presidente da Comissão Europeia.
Programa eleitoral
Promessas
+
Promessas
Votem em mim... aDesenhar
***
1. aDesenhar
2. Silêncio culpado
3. Latitudes

4.
Sarasvati
5. Cerejinha
6.
Å®t Øf £övë
7. Daniela Mann
8. Pata negra
9. Laurentina
10. R. Rudoisxis
11. Flávia
12. Odele Souza
13. clanDestino
14. novoespelhosecreto
15. peciscas
***
Photobucket
Acção de rua para animar a minha campanha. Paris, rue de Montorgueil __________<... Je veux que mon Chien soit DIPLOMÉ ...>

Madeleine Peyroux plays "Don't Cry Baby" em mais uma BlogArruada da minha nossa campanha

segunda-feira, junho 08, 2009

domingo, junho 07, 2009

Eleições Europeias - Dia D


Photobucket
Posição Sobre as Eleições Europeias de 7 de Junho de 2009 (DD)
Portugal atravessa uma profunda crise moral, política, económica e social, que afecta a própria democracia. O quadro de aflição em que o País e o seu povo se encontram é dramático, podendo ser sumariado em 30 factores de desgraça:
(***continue a ler aqui ----->(DD)
*
**
***
Um povo macambúzio burro de carga aguentando

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora,
aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas;
um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai;
um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta.[.] Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação, da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro.
Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País.A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar."


in
, Pátria,"Guerra Junqueiro,1896.

____________________________________________________________0
Especial Eleições - Versão Brasileira


quarta-feira, maio 27, 2009

Background espectáculo_dia 7_6_2009_aqui...

Background espectáculo.

dia 7 . 6 . 2009

*aqui*

segunda-feira, maio 18, 2009

segunda-feira, maio 11, 2009

A Desintegração da Persistência da Memória - Restauro 3D

Photobucket
Estou infectado com a Gripe Daliniana H1N1X2Y3Z4J7 e a modelar um relógio com Camembert “super-mole”. Vinte anos depois Dali completou A Desintegração da Persistência da Memória... eu

quarta-feira, abril 29, 2009

A Persistência da Memória...

A Persistência da Memória...
"Foi numa noite em que me sentia muito cansado e tinha uma ligeira dor de cabeça, o que é extremamente raro em mim. Íamos ao cinema com uns amigos mas no ultimo momento decidi não ir. Gala iria com eles e eu ficaria em casa e deitar-me-ia cedo.Tínhamos terminado a nossa refeição com um Camembert, e depois de todos terem saído eu fiquei ainda algum tempo à mesa meditando nas questões filosóficas do “super-mole” que o queijo me parecia suscitar.
Levantei-me e dirigi-me ao meu estúdio onde acendi a luz para, como era meu hábito, dar uma última vista de olhos, ao quadro em que estava a trabalhar.
Este quadro representava uma paisagem perto de Port Lligat, cujas rochas eram iluminadas por uma penumbra transparente e melancólica; em primeiro plano uma oliveira com os ramos cortados e sem folhas. Eu sabia que a atmosfera que tinha conseguido criar com esta paisagem iria servir como cenário para alguma ideia, para alguma imagem surpreendente, mas não fazia a minima ideia o que seria.
Estava quase a desligar a luz quando, de repende, “vi” a solução.
Vi 2 relógios moles, um deles lamentavelmente pendente nos ramos da oliveira.
Apesar da minha dor de cabeça ter aumentado ao ponto de se tornar realmente dolorosa,
preparei avidamente a minha paleta e lancei-me ao trabalho.Quando Gala regressou do cinema, duas horas depois, o quadro, que acabaria por se tornar uma das minhas obras mais famosas, estava pronto.
Fi-la sentar-se em frente dele
com os olhos fechados:

“Um, dois, três, abre os olhos !” Observei a face de Gala e vi aquela contracção inequívoca de maravilha e espanto.
Isto convenceu-me da eficácia da minha nova imagem, pois Gala nunca errava quando julgava a autenticidade de um enigma." ...

A Desintegração da Persistência da Memória

(em "A Vida Secreta de Salvador Dali")

A Persistência da Memória foi acabada em menos de 5 horas.
Vinte anos depois Dali completou A Desintegração da Persistência da Memória. (ver um esquisso no meu blog - cartoons 3d)

sábado, abril 25, 2009

25 de Abril - Traz Outro Amigo Também - Zeca Afonso


Amigo
Maior que o pensamento
Por essa estrada amigo vem
Por essa estrada amigo vem
Não percas tempo que o vento
É meu amigo também
Não percas tempo que o vento
É meu amigo também

Em terras
Em todas as fronteiras
Seja bem vindo quem vier por bem
Se alguém houver que não queira
Trá-lo contigo também

Aqueles
Aqueles que ficaram
(Em toda a parte todo o mundo tem)
Em sonhos me visitaram
Traz outro amigo também

sexta-feira, abril 24, 2009

terça-feira, abril 21, 2009

A pintura da vida ...

texto da autoria da encandescente do extinto
mas não esquecido blogue
www.eroticidades.blogspot.com