quarta-feira, abril 29, 2009

A Persistência da Memória...

A Persistência da Memória...
"Foi numa noite em que me sentia muito cansado e tinha uma ligeira dor de cabeça, o que é extremamente raro em mim. Íamos ao cinema com uns amigos mas no ultimo momento decidi não ir. Gala iria com eles e eu ficaria em casa e deitar-me-ia cedo.Tínhamos terminado a nossa refeição com um Camembert, e depois de todos terem saído eu fiquei ainda algum tempo à mesa meditando nas questões filosóficas do “super-mole” que o queijo me parecia suscitar.
Levantei-me e dirigi-me ao meu estúdio onde acendi a luz para, como era meu hábito, dar uma última vista de olhos, ao quadro em que estava a trabalhar.
Este quadro representava uma paisagem perto de Port Lligat, cujas rochas eram iluminadas por uma penumbra transparente e melancólica; em primeiro plano uma oliveira com os ramos cortados e sem folhas. Eu sabia que a atmosfera que tinha conseguido criar com esta paisagem iria servir como cenário para alguma ideia, para alguma imagem surpreendente, mas não fazia a minima ideia o que seria.
Estava quase a desligar a luz quando, de repende, “vi” a solução.
Vi 2 relógios moles, um deles lamentavelmente pendente nos ramos da oliveira.
Apesar da minha dor de cabeça ter aumentado ao ponto de se tornar realmente dolorosa,
preparei avidamente a minha paleta e lancei-me ao trabalho.Quando Gala regressou do cinema, duas horas depois, o quadro, que acabaria por se tornar uma das minhas obras mais famosas, estava pronto.
Fi-la sentar-se em frente dele
com os olhos fechados:

“Um, dois, três, abre os olhos !” Observei a face de Gala e vi aquela contracção inequívoca de maravilha e espanto.
Isto convenceu-me da eficácia da minha nova imagem, pois Gala nunca errava quando julgava a autenticidade de um enigma." ...

A Desintegração da Persistência da Memória

(em "A Vida Secreta de Salvador Dali")

A Persistência da Memória foi acabada em menos de 5 horas.
Vinte anos depois Dali completou A Desintegração da Persistência da Memória. (ver um esquisso no meu blog - cartoons 3d)

7 comentários:

Odele Souza disse...

Salvador Dali sempre foi para mim um artista enigmático. Um gênio alvoroçado, inquieto, polêmico.

Bjs de Odele e Flavia

Alexa disse...

Salvador dali sempre foi um artista entre os artistas ,era meio louco polémico e tudo o que um a pessoa tem para ser real.E nãose importava com isso


beijos

Laurentina disse...

Impressão minha ou estás doente??...
É que sabes há coisas que se pegam...!!!
Tirando esta minha impressão gosto e aprecio os trabalhos do Salvador

Beijão grande

SILÊNCIO CULPADO disse...

ADesenhar

Sou uma apaixonada pela obra de Dali. Por toda a obra. O Museu de Figueras é algo que tenho sempre presente. O homem era um génio e louco como todo o génio deve ser.
E tu sabes de arte, meu amigo, é impressionante o património que juntas aqui.


Abraço

Isabel-F. disse...

Uma maravilha esta descrição ...
para este maravilhoso trabalho de S Dali

bjs e bom fim de semana

Pata Negra disse...

Este blogue está-se a tornar "daliliano". Deixa-me htmelemente desconchavado.
Um abraço do salvador daqui

aDesenhar disse...

Odele Souza
Alexa
SILÊNCIO CULPADO
Isabel-F.
Um grande dilema para quem não consegue separar o homem do artista
:-)

Laurentina
Gripe suína, do México ou na nova versão Gripe A, creio que não é.
Provavelmente é um Gripe "Daliniana", contagiosa e que de bom grado transmito aos meus visitantes.

Pata Negra
Este blogue tem tendência "Daliniana" desde que foi criado.
Se queres ficar mais «htmelemente desconchavado»acompanha o restauro tridimensional que estou a tentar fazer ao quadro de Dalí - A Desintegração da Persistência da Memória
no meu blogue:http://www.cartoons3d.blogspot.com/,
Nesta fase ando à volta com um relógio tipo Camembert, trabalhoso de moldar que também está a deixar-me desconchavado.
:-)

abraço a todos