quinta-feira, junho 16, 2005

Liame


As minhas poesias são
horas de esquecimento...

Lugares
sagrados,
Templos.

São viagens pelo Universo
à volta do que eu penso em verso, ciúmes
de não poder viajar realmente
através dele...

Se alguém reparar por que me fascino
com tantos mistérios d'astros e de cometas,
com tantas constelações e planetas,
repara apenas
através dos meus sentidos
como se eu não tivesse a mínima importância.

A minha ânsia
é desaparecer como meteoro fugaz
por entre as nebulosas de gaz
e procurar outro Sol, nova distância
que me separe,
encontre e ame...
Longe... Livre...
Em liame!

Geometria - De Marília Miranda Lopes
livro publicado e registado na S.P.A.