quinta-feira, fevereiro 22, 2007

... Seja benvindo quem vier por bem ...

... Traz Outro Amigo Também ...
(José Afonso)

foto: tirada da net, saída de uma máquina que a tirou de um Monumento em Grândola.

Amigo
Maior que o pensamento
Por essa estrada amigo vem
Não percas tempo que o vento
É meu amigo também

Em terras
Em todas as fronteiras
Seja benvindo quem vier por bem
Se alguém houver que não queira
Trá-lo contigo também

Aqueles
Aqueles que ficaram
(Em toda a parte todo o mundo tem)
Em sonhos me visitaram
Traz outro amigo também
...........................................................

... a minha modesta homenagem ao Zeca que em sonhos também visitei ...

21 comentários:

Menina_marota disse...

Comovi-me no passado sábado na homenagem que o Clube Literário do Porto fez a Zeca Afonso e onde estiveram presentes José Mário Branco e Francisco Fanhais.

"...Aqueles
Aqueles que ficaram
(Em toda a parte todo o mundo tem)
Em sonhos me visitaram
Traz outro amigo também..."

e eu levei Amigos, também...

Um abraço e grata pela partilha. ;)

sem-comentarios disse...

O Zeca está imortalizado :)
Eu gosto de tudo o que ele escreveu ou cantou.

Bem vindo :)

Logo voltarei aqui para ouvir essa música fantástica que aqui puseste.

Bjs ***

Mocho Falante disse...

é sempre bom lembrar zeca...faz falta recordar as suas palavras, é essencial não esquecer o que ele cantou

abraços

Isabel-F. disse...

.... junto-me à bem merecida homenagem....


bom fim de semana
bjs

Zé Pedro disse...

Estamos em sintonia quanto á homenagem...

GRANDE SENHOR...

Cumprimentos do Catano !!!

Cristina disse...

Bonita homenagem!
Um bom fim de semana para ti
beijinhu

Irene disse...

pena que passe tão pouco nas rádios mas é bom manter viva a memória deste homem... a propósito, fiz o que pude e não será por acaso que o meu filho com 18 anos também gosta do Zeca.

Lumife disse...

O REGRESSO

Os amigos insistiram no regresso do “BEJA”.

O desejo íntimo também era grande…

Porque não dar vida de novo a este projecto?

Além das notícias do Alentejo voltamos a ter outros

temas interessantes e sempre a lembrança dos

bons Poetas Alentejanos e não só.

Assim decidimos voltar e esperar o bom acolhimento

de sempre dos Amigos que aqui encontrei e dos

novos que porventura nos visitem.

Abraços amigos

sem-comentarios disse...

estou aqui a rir muito com a zona mista - fumadores e não fumadores

:p meu amigo, que fumarada vai para aqueles lados.

adorei :)))))
como sempre , mais um dos teus excelentes trabalhos ;)


bjs**

sem-comentarios disse...

Acreditas que eu vivo a 40 kms de Grândola e vou lá sempre que posso e não sei onde está essa estátua ?!
vou averiguar isso :)

Bjs *

Mikas disse...

Assim tb digo, quem vier por mal que volte para trás.

agua_quente disse...

Recordaremos sempre o homem e ouviremos sempre a música. Acho que eu gostava de o visitar em sonhos... ou de visitar a utopia que ele desejava.
Beijos

gato_escaldado disse...

Um abraço. Associo-me atua homenagem...

Cristina disse...

:) uma boa semana para ti
beijinhu

com_argumentos disse...

-Um dos meus preferidos nosso cantores :D
Merece todas as "homenagens" pois ele deixou-nos algo de mt precioso.
pena é de quem não lê nas "entre-linhas" o que ele com as musicas transmitia...
Secalhar não é mesmo para todos ;)

Fica bem :)***

sem-comentarios disse...

Adorei o cinzeiro :)))

muito obrigada, meu amigo ***** :)

Isabel-F. disse...

Nunca me canso de o ouvir....


bj

sem-comentarios disse...

Vou te chatear com um pedido por e-mail :$

Já volto :O

Bjs

adesenhar disse...

Menina_marota
sem-comentarios
Mocho Falante
Isabel-F.
Zé Pedro
Cristina
irene
Lumife
Mikas
agua_quente
gato_escaldado
com_argumentos

abraço a todos...
tenho a certeza que vieram por bem
e por isso são benvindos, a porta está sempre aberta.

:-)

Isabel-F. disse...

Oi...

Não dá para comentar no Post acima ...


bom fim de semana
Bj

Zé Lérias disse...

É muito bom ler e sentir que ainda hoje, decorridos 20 anos após o seu falecimento, tanta gente (novos e velhos) traz no coração a memória de um dos mais extraordinários Homens que vivia a utopia, tendo dela colhido (sabendo-o antecipadamente) alguns (muitos) amargos de boca.