sexta-feira, janeiro 05, 2007

miguel torga - 100 anos

Miguel Torga
(Poeta e prosador - 1907-1995)

Retrato de Miguel Torga

Nem sempre escrevi que sou intransigente, duro, capaz de uma lógica que toca a desumanidade. (...) Nem sempre admiti que estava irritado com este camarada e aquele amigo. (...) A desgraça é que não me deixam estar só, pensar só, sentir só.

Quando tudo aconteceu

1907: Nasce Adolfo Correia da Rocha em S. Martinho de Anta (distrito de Vila Real). - 1920: Emigra para o Brasil. - 1925: Regressa do Brasil. - 1927: Fundação da "Presença" em que colabora desde o começo. - 1928: Ingressa na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra; Ansiedade, primeiro livro, poesia. - 1930: Deixa a "Presença". - 1931: Pão Ázimo, primeiro livro em prosa. - 1933: Formatura em Medicina. - 1934: A Terceira Voz, prosa; passa a usar o pseudónimo Miguel Torga. - 1936: O outro livro de Job, poesia. - 1937: A Criação do Mundo - Os dois primeiros dias. - 1939: Abertura do consultório médico, em Coimbra. - 1940: Os Bichos. - 1941: Primeiro volume do Diário; Contos da Montanha, que será reeditado no Rio de Janeiro; Terra firme, Mar, primeira obra de teatro. - 1944: Novos Contos da Montanha; Libertação (poesia). - 1945: Vindima, o primeiro romance. - 1947: Sinfonia (teatro). - 1950: Cântico do Homem (poesia); Portugal. - 1954: Penas do Purgatório (poesia) - 1958: Orfeu Rebelde, poesia. - 1965: Poemas Ibéricos. - 1981: Último volume de A Criação do Mundo. - 1993: Último volume do Diário (XVI). - 1995: Morre Adolfo Correia da Rocha.


... S. LEONARDO DE GALAFURA ...
Está o viajante cansado de calcorrear esta região de Lamego. Foi à Senhora dos Remédios, subiu as escadarias recordando o episódio do Veloso nos Lusíadas, visitou a cidade, foi a Salzedas e à Ponte de Ucanha, visitou Balsemão, S. Martinho de Mouros, Armamar e S. João de Tarouca. É tempo de partir para a Régua. Passada a ponte, hesita. Voltar à esquerda e seguir para Mesão Frio ou seguir em frente rumo a Vila Real pela estrada de Santa Marta de Penaguião. A paisagem é impressionante em qualquer dos percursos. Porém, ali à direita, junto ao rio, há uma pequena estrada... e o céu azul convida à aventura. O viajante decide-se pelo desconhecido. Hoje vai a Galafura.

Aquele poema de Torga não lhe saía da cabeça. O autor dos Contos da Montanha nasceu ali ao lado e a sua visão telúrica sempre o impressionara. Algo terá este lugar para tanto ter fascinado o poeta.

A estrada é estreita mas de bom piso. Pelas encostas estendendem-se os vinhedos em socalcos. Impossível não aproveitar os poucos espaços livres nas bermas para parar e encher os olhos com a rudeza trabalhada da paisagem. Chegamos a Galafura. A estrada sobe para o monte e lá no alto espera-o S. Leonardo.
A primeira sensação é de paz, uma paz que brota da rudeza das pedras e do silêncio das cercanias. Uma pequena capela sem pretensões, árvores em torno, granito...Incrustadas em algumas rochas estão placas com textos de Torga sobre Galafura.Não se vê vivalma. O viajante agradece. Nascido na serra e apreciador destes cimos ornados com pequenas capelas que pululam por toda esta região, nunca entendeu a razão por que muitas pessoas insistem em permanecer no betão e não fazem o esforço de libertarem o espírito e subirem ao monte. Mas hoje não está para grandes divagações e, egoisticamente, agradece...

Ao fundo, passada a capela, montes de pedras ornam a esplanada. O viajante aproxima-se e...

" O Doiro sublimado. O prodígio de uma paisagem que deixa de o ser à força de se desmedir.Não é um panorama que os olhos contemplam: é um excesso da natureza. Socalcos que são passadas de homens titânicos a subir as encostas, volumes, cores e modulações que nenhum escultor, pintor ou músico podem traduzir, horizontes dilatados para além dos limiares plausíveis da visão. Um universo virginal, como se tivesse acabado de nascer, e já eterno pela harmonia, pela serenidade, pelo silêncio que nem o rio se atreve a quebrar, ora a sumir-se furtivo por detrás dos montes, ora pasmado lá no fundo a reflectir o seu próprio assombro. Um poema geológico. A beleza absoluta." (Miguel Torga, Diário XII).



Quem melhor do que o poeta poderia descrever este regalo dos sentidos?!
Nas suas vagabundagens pelo país, que se põe cada vez mais bonito para o receber após um longo ano de ausência, o viajante revolta-se por vezes com o desleixo quase atávico que o envergonha, pasma-se frequentemente com as potencialidades inexploradas e a variedade policromática da paisagem portuguesa, com aquela casa de granito ou aquele monte alentejano que, à socapa, irrompe na paisagem e lhe transmite o algo que faltava. S. Leonardo de Galafura é a explosão dos sentidos em que ao arquitecto bastou o arado.Há lugares mágicos em Portugal que teimamos em desconhecer."Só nos é concedida esta vida que temos; e é nela que é preciso procurar o velho paraíso que perdemos."Se algum dia alguém se ufanar, falando-lhe da sua última visita a Paris ou Londres, não tenha pejo em perguntar-lhe: - E você, já foi a S. Leonardo de Galafura?...

Já imaginou o viajante a regalar-se com presunto, caseiro obviamente, e, se estivermos em fins de Verão, um melãozinho casca de carvalho, com pimenta q.b. E uma garrafa de Quinta do Cotto Grande Escolha para regar o repasto... E o Doiro a correr lá ao fundo, cheio de inveja...
Não imagina? Pois, é pena...

adesenhar...................... d:-) hvr - jf

25 comentários:

Isabel-F. disse...

Um dos meus poetas/escritores preferido.

A Criação do Mundo foi das coisas mais belas que alguma vez li...

Tem um bom fim de semana
Bjs

Anónimo disse...

Um grande poeta, sempre bom relembrá-lo.
As tuas fotos são de uma beleza incrivel :)

Bom fim de semana, meu amigo ***

Maria Manuel disse...

Belíssima homenagem que me lembrou que também eu quero, de alguma maneira, assinalar a comemoração deste centenário.

Com este escritor passa-se comigo uma coisa engraçada. Fala-se nele e vêm-me palavras suas à memória, passagens inteiras do Diário, da Criação do Mundo, de Portugal, dos Bichos, dos Novos Contos da Montanha, de vários poemas.
Conheço o mundo de que fala e admiro sempre a força, a sensibilidade e a inteligência desta personalidade gerada nesse mundo!

Sobre S. Leonardo, difícil será para mim se algum dia me perguntarem quantas vezes já lá fui...!

(Tomo nota do repasto, para uma próxima...)

:-)

.*.Magia.*. disse...

Olá...
Mas que lindas fotos aqui tens!
Lindas!

Fica um doce beijo

Anónimo disse...

Obrigada por esta bonita viagem dupla.

retratosdegalafura disse...

é a primeira que aki venho a este cantinho e gostei bastante, sim de facto Torga foi um grande senhor que deu a conhecer a muitos o que o norte tem de melhor, deu a conhecer o douro e a sua beleza.
S.leonardo é sem duvia a esplosão dos sentidos daqueles que o visitam
sim eu tb visito s.leonardo muitas vezes até porque sou natugal de galafura. obrigado pela partilha

Isabel-F. disse...

Olá ... boa semana para ti.

Para o meu Post da passada 6ª feira, não podia ter deixado de escolher o que propuseste.

Bj

batista filho disse...

demonstração incontestável do amor à terra, esse post, de beleza e sensibilidade incríveis! - revela-nos um pouco mais de ti mesmo.

um grande abraço, meu amigo.

Zé Lérias disse...

Que bela homenagem ao Escritor/Poeta e ao Homem!
É um prazer passar por aqui.

isabel disse...

Olá...Fui a Galafura este ano nas minhas férias em Portugal...fiquei deslumbrada e emocionada com tanta beleza. Um convite á meditação.
Beijo

Mikas disse...

Continuas na tua cruzada contra as cinzas hehe mtos parabéns

Anónimo disse...

Bela homenagem a este GRANDE poeta, prosador e médico.

Mocho Falante disse...

adoro Torga...é de facto um escritor simples e brilhante ao mesmo tempo...bela homenagem parabéns....

Só uma coisa, como é que cinsegues colocar tantas fotos nos posts...eu no máximo pelo blogger só consigo por duas...podes ajudar-me?

abraços

Anónimo disse...

Amigo,
cansada como estou hoje, apetecia me esse presunto que falas, um passeio pelo o Douro e um cálice desse nectar :))

Cá espero pelos teus desenhos :))

Bom trabalho

Bjs , migo**

adesenhar disse...

Mocho Falante
o processo para as fotos é sempre o mesmo desde o inicio do blog.
o teu já é o novo, tem uma configuração diferente para o template que ainda ando a tentar decifrar, para futuras alterações.
dei lá um salto e verifiquei que tens 7 fotos no teu post sobre Paris! podes ter um erro no template! amanhã envio-te um programa para o corrigires.

abraço

adesenhar disse...

sem-comentarios

os meus desenhos sobre o tabaco! ok!
só têm um inconveniente!
não podes fumar... são virtuais
LOL

o teu "musicovery" é espectacular e já tenho ali o link disponível p/os visitantes!

bjs miga ***

adesenhar disse...

Mikas

obrigado :-)
é uma difícil cruzada contra as cinzas...
está a correr bem!
apenas tem um inconveniente...com estes cigarros virtuais alguns fumadores já se afastaram do meu blog.
Lamento não ter companhia nesta campanha "desenhada", porque cedia com prazer os desenhos dos nºs para os candidatos a não fumadores colocarem nos seus blogues.
não cobro IVA, IRS, IRC, PTT, UCP, OPC,IOL, ITI ...

LOL

adesenhar disse...

mocho

podes utilizar a ferramenta de correcção
deste site:
www.javascriptlint.com/online_lint.php.

esta dica é útil para todos os blogueiros.
:-)

Anónimo disse...

Olá.

O ano novo inspirou-te para uma remodelação da tenda?

Muito bom o trabalho!

beijos

:)

Anónimo disse...

Estive lá (em S. Leonardo da Galafura) o ano passado, no Verão. Paisagem de pasmar! Também tenho umas fotos que me ajudam a lembrar. :)
Beijos

Manel do Montado disse...

Não penses no tabaco. Excelente homenagem a um genuino português.
Um abraço

Isabel-F. disse...

Bom fim de semana para ti.

Bjs

Ana disse...

Foi com enorme prazer que visitei o teu blog.Fiquei deslumbrada quando vi Miguel Torga.Como poderia imaginar que vinha encontrar o poeta que tanto gosto(felizmente tive o previlégio de o conhecer pessoalmente)
Um abraço e parabéns.

Isabel-F. disse...

Bom fim de semana ...

que se passa com os teus Posts??? ...
estão a desaparecer???

Bjs

Sofia disse...

Um bom escritor, umas boas fotos e um bom fotografo, muito bem....

:-)