sábado, novembro 04, 2006

há dias assim...

acordamos de manhã, deslocamo-nos até ao nosso local de trabalho, e enfrentamos a 1ª máquina do dia, o livro de ponto ou "pica cartão" ou "pica miolos", "pica dedos" e até já há "pica olhos" insensíveis às peripécias de um trânsito "Kaótico"... logo de seguida vem a 2ª máq. o nosso Pc. 1º desafio do dia...
.........................................................
alguns registos bloguistas sobre as máquinas.


Mocho Falante / ah pois é estamos rodeados por elas e já não há retorno possível, é o preço do progresso
Boo / por vezes fundimo-nos com essas máquinas, transformando-nos noutras... nada melhor que andar nos transportes públicos de manhã para constatar isso...
Cristina / e cada vez temos mais máquina para enfrentramos, é o futuro.
batista filho / agachado, mas não de joelhos, há na criatura, um quê de rebeldia.
Mikas / O meu é com o dedo hehe e o pior é quando são precisas não sei quantas tentativas para registar a entrada...
Um outro olhar / se eu "olhar" o dia como o boneco o olha talvez o leve com alguma agilidade e menos custo ... o meu "picar" o ponto depente do "poiso" onde me encontrar.
Lumife / Sobre o tema que apresentas já sabes que mesmo fingindo não o querer ser o homem é irremediávelmente escravo das máquinas que criou.
Isabel-F. ...não me vejo sem máquinas ... assumo que sou escrava de muitas delas..
HoArt3
esquisso: texto sujeito a alterações

11 comentários:

Desambientado disse...

Este blog continua fantástico.
Relaxante, porque a arte pode ajudar à limpeza da alma. Pertinente, porque a fome e o aquecimento global são flagelos do mundo moderno. Desafiador, porque a educação é um desafio..
Não sei porque continuo a desculpar-me com a falta de tempo para blogar??? Tentarei passar muitas mais vezes.

Yardbird disse...

Um retorno e a constatação que o grafismo e as ideias continuam em grande.
abraço

Mocho Falante disse...

ah pois é estamos rodeados por elas e já não há retorno possível, é o preço do progresso

abraços

Boo disse...

por vezes fundimo-nos com essas máquinas, transformando-nos noutras... nada melhor que andar nos transportes públicos de manhã para constatar isso...

Cristina disse...

e cada vez temos mais maquina para enfrentramos, é o futuro
:)
beijinhu

batista filho disse...

agachado, mas não de joelhos, há na criatura, um quê de rebeldia.

Mikas disse...

O meu é com o dedo hehe e o pior é quando sao precisas nao sei quantas tentativas para registar a entrada....

Um outro olhar disse...

se eu "olhar" o dia como o boneco o olha
talvez o leve com alguma agilidade e menos custo

... o meu "picar" o ponto depente do "poiso" onde me encontrar

:)

Lumife disse...

Como nem sempre há possibilidades de visitar os amigos coloquei hoje um poema dedicado a todos os que considero como tal e a quem desejo tudo de bom.

Sobre o tema que apresentas já sabes que mesmo fingindo não o querer ser o homem é irremediávelmente escravo das máquinas que criou.

Um abraço

folhasdemim disse...

eheeheh
Gostei
beijos, Betty

Isabel-F. disse...

...não me vejo sem máquinas ... assumo que sou escrava de muitas delas ...

Bjs